Tuesday, August 11, 2009

Lisboa-Algarve em BTT (Ago 2009)


Caldas da Rainha - Lagos em bicicleta















Dia 1 - Sab, 1 Agosto

A viagem começou nas Caldas da Rainha, onde ás 8h28, apanhámos o comboio regional para Lisboa.
Eram 11h30 quando descemos em Sete Rios e começamos a pedalar . Debaixo de alguns pingos de chuva, passámos pelo Aqueduto das Águas Livres, por Alcântara, pelas Docas e continuando na zona ribeirinha do Tejo até junto à estação fluvial de Belém.
Apanhámos o cacilheiro às 12h20. Pensando que já era a Trafaria, saímos em Porto Brandão. Quando demos por isso já era tarde … o resultado foi apanhar logo uma enorme subida e fazer mais meia dúzia de quilómetros até à Costa da Caparica, debaixo de uma chuvada que entretanto começava a cair com mais força.
Almoçamos numa pizzaria na Costa da Caparica e eu aproveitar para comprar um chuvisco numa loja chinesa.
Continuámos por estrada até à Fonte da Telha e aqui optámos por seguir até à lagoa de Albufeira, pedalando à beira mar, por vezes com a bicicleta à mão e com umas quedas pelo meio, quando a areia não avisava que era muito macia!
Entretanto a chuva parou e o tempo ficou espetacular. Fizemos uma paragem para tomar um banho naquela praia fantástica, um pouco à frente do local onde nos havíamos cruzado com um casal de nudistas “ gay”.

A travessia da lagoa de Albufeira com as bicicletas ás costas foi fácil, pois a água estava abaixo da cintura.



















Prosseguimos a nossa viagem passando pela aldeia do Meco e fomos visitar o cabo Espichel. Depois foi pedalar em direção ao parque de campismo de Sesimbra.
Tinha sido uma jornada longa. Há 12 horas que estávamos em viagem. Depois de montar as tendas e tomar banho, deliciámo-nos com um saboroso bitoque no restaurante do parque. Fomos dormir por volta das 23h30.

 
Dia 2 – Dom, 2 Agosto

Levantámo-nos sem grande pressa e já passava das 9h20 quando saímos do parque de Campismo de Sesimbra.
Tomámos o pequeno almoço numa pastelaria junto à praia.
E começamos a subir para sul da cidade … as vistas são espectaculares.
Tentámos atalhar pelas pedreiras, mas o trilho estava muito fechado e tivemos que voltar para trás.
A travessia da Serra da Arrábida, é repleta de subidas, mas também de paisagens magníficas. Fizémos uma paragem no Portinho da Arrábida para tomar uma bebida e dar um mergulho. Continuámos até Setúbal sempre junto ao mar. Em Setúbal, um almoço rápido no McDonald´s antes de apanhar o ferry para Tróia.
 



















A paragem seguinte foi na praia da Comporta … mais uma cerveja e outro mergulho… a água estava óptima.
Lanchámos na Comporta e continuámos a viagem até ao Carvalhal, mas fora de estrada, pelo meio dos verdejantes campos de arroz.
Até Melides foi sempre a pedalar a bom ritmo. Continuámos até à lagoa de Santo André por um atalho pelo meio dos pinhais.
Por não termos carta de campista, não nos foi permitido acampar no parque de Melides nem no de Santo André.
Como já estava a escurecer, decidimos ir jantar e só depois procurar um local para pernoitar. Acabámos por montar as tendas debaixo de uns sobreiros, junto ao restaurante onde jantámos.
 




















3º dia Seg, 3 Agosto


Depois de uma noite tranquila junto ao restaurante, acordámos cedo e ás 9h00 já estávamos na estrada. Tomámos o pequeno almoço numa pastelaria em Santo André e entrámos na via rápida de Sines. Passámos pelo centro de Sines e continuámos pela marginal. Passámos pela praia de S. Torpes e logo a seguir as belas praias de Porto Covo, onde fizemos uma paragem para tomar uma bebida e comprar comida para o almoço.
Atravessámos o porto e continuámos por um estradão de terra até à famosa ilha do Pessegueiro, onde parámos para dar um mergulho, almoçar e dormir uma sesta.
Estava-se bem na praia, mas o nosso destino ainda estava a 60km, pelo que tivemos que nos fazer ao caminho. Seguimos por uma atalho de terra que nos levou até à estrada para Vila Nova de Milfontes. Só parámos na praia de Almograve, onde demos mais um mergulho.
Continuámos em direcção ao cabo Sardão, local com vistas magníficas, mas onde o mar mete respeito. Seguimos para a Zambujeira do Mar, por um caminho espectacular, junto à costa, que o faroleiro nos disse ser ciclável.
Chegados a Zambujeira do Mar, assistimos a um magnífico pôr do sol. Seguimos para o parque de campismo e foi o ritual do costume - montar tenda, tomar banho e jantar.
Foram 101 km em 5h10.



















4º dia – Ter, 4 Agosto

Levantámo-nos cedo, tomámos o pequeno almoço numa pastelaria em Zambujeira do Mar e começamos a viagem por num estradão em direcção à praia do Carvalhal.
Voltámos à estrada nacional a caminho de Odeceixe. Depois de passar a ponte que faz fronteira entre o Alentejo e o Algarve, desviámos para a bela praia de Odeceixe. Tentámos continuar a pedalar junto ao mar, pois a paisagem era magnífica, mas a areia era muita e tivemos que voltar para atrás e seguir pela estrada.
Um pouco mais à frente, em Rogil comprámos comida e em Aljezur fizemos uma paragem para almoçar umas sandes bem guarnecidas.
Estava muito calor pelo que pedalámos mais uns quilómetros até à praia da Carrapateira, onde fizemos 2 horas de praia e dormimos uma sesta.
Eram 17h30 quando voltámos à estrada. O objectivo era pedalar até Vila do Bispo e daí seguir para o Cabo de S. Vicente. Porém, o vento forte, o frio e o nevoeiro que entretanto se faziam sentir, obrigaram-nos a alterar os planos e rumar para sotavento na direcção de Lagos, onde o céu continuava azul.
Chegámos a Lagos por volta das 20 horas, com 117 km percorridos.
Acampámos no parque junto ao campo de futebol. Depois de montar tendas e tomar banho, fomos a pé até ao centro de Lagos, onde jantámos uma deliciosa francesinha. Passeámos um pouco pelo centro histórico, sempre cheio de movimento e com muitos artistas de rua. E fomos dormir.





















5º dia – Qua, 5 Agosto
Era o nosso último dia no Algarve, pelo que decidimos aproveitar a manhã na “meia-praia”, onde ficámos até próximo das 13 h. Voltámos ao parque de Campismo, para desmontar as tendas e tomar um banho, antes de seguir para a estação de comboios de Lagos, para apanhar o comboio para Tunes às 14h10. Em Tunes esperámos até às 16h26 pelo comboio com destino ao Barreiro, onde chegámos pelas 20h15. Aqui, apanhámos o barco para o Terreiro do Paço, onde chegámos já depois das 21h00.
Como já não haviam comboios da linha do Oeste, tivemos que passar a noite no parque de campismo de Monsanto.
Ligámos as luzes e foi um belo passeio nocturno à beira do Tejo, pelo Cais do Sodré, Santos, Alcântara, Belém e Algés. E presenciámos um luar fantástico sobre a ponte 25 de Abril.
Tencionávamos jantar numa cervejaria muito conhecida em Algés - o “Relento”, mas era dia de folga. Tentámos outros restaurantes, mas como já passava das 22 horas, as cozinheiras já tinham ido embora. Como a fome apertava, só no restou comer uns hamburgers num centro comercial em Miraflores. Continuámos a pedalar, passámos junto à Decathlon e chegámos ao parque de campismo por volta das 23 horas. Apesar do ruído de fundo dos carros que circulavam na CRIL, foi a noite em que dormi melhor.




















6º dia – Qui, 6 Agosto
E viagem estava quase a chegar ao fim. Levantámo-nos cedo, desmontámos acampamento e rumámos na direcção de Sete Rios. Logo a seguir à Buraca apanhámos uma excelente ciclovia que contorna Monsanto até próximo do Aqueduto das Águas Livres. Chegados à estação, confirmámos a hora do comboio e tomámos tranquilamente um excelente pequeno almoço.
O comboio saiu ás 10h37 e chegou às Caldas cerca das 12h30, a tempo de vermos o final do programa “Há volta” da RTP 1. É que a 1ª etapa da Volta a Portugal tinha começado nas Caldas naquela manhã.




















BALANÇO FINAL

Foram 5 dias muito bem passados. Práticamente tudo decorreu de acordo com o previsto, não houve avarias, nem lesões, nem situações de stress.
O meu companheiro de viagem, foi sempre uma boa companhia e as conversas foram interessantes.
E passámos por sítios fantásticos, com a vantagem de o fazermos ao ritmo da bicicicleta, sentindo os cheiros e o colorido das paisagens.
Falando de números, pedalámos mais de 450km, e cada um de nós gastou 35€ em transportes (comboios e barcos), 38€ em parques de campismo e 97,5€ em comida.

Vitor Milheiro
Ago ´09

1 comment:

Luis Eme said...

grandes cicloturistas!...